Tela Quente…

15 08 2009

De volta ao lar, ou tentando;

Semana extremamente conturbada essa que estamos vivendo, todo mundo muito exaltado, com sangue nos olhos… O estresse subindo pelas vísceras de pessoas que até então julgávamos pacificas, pessoas que nunca fariam mal ou denegririam ao seu semelhante…

Semana essa que até se Dalai Lama estivesse passando soltaria um sonoro: Puta que pariu!

O nível de estresse e violência causados pelas brigas no senado, pela voz irritante da Ana Maria Braga falando com o Louro José, somado aos apresentadores insuportáveis da TV Globinho incluind muitas atitudes infantis devem ter contribuído pra essa onda de ódio na televisão.

guerra_globo_record

Para aqueles que vivem em Marte, vou explicar: Essa semana o Ministério Público (sempre ele) recebeu uma série de acusações contra o porta voz celestial do Criador, Edir Macedo (Deus é mais). Segundo documentos fornecidos ao Descuidistas, Edir Coisa Ruim Macedo é acusado de desviar dinheiro doado em dizimo da Igreja Universal para lucrar e comprar bens próprios.

Segundo o mesmo documento Edir Macedo teria se usufruído do dinheiro doado como ato de fé para comprar bens, entre eles estava incluída a sede da Rede Record.

Fato é que em contrapartida aproveitando da escorregada no tomate do senhor Edir, a emissora platinada, Rede Glóbulo começou um… Digamos que boicote a Rede Record, mencionando 8 vezes em uma mesma reportagem a palavra Record… Um acontecimento sem precedentes históricos…

Falar o nome da emissora concorrente em horário nobre é quase tão imperdoável ou impraticável quanto errar o nome da mulher após 20 anos de casado, mas aconteceu.

E logo começou o fogo cruzado Globo ataca, Record se defende e vice-versa. Para pessoas que moram em Marte ou em cidades interioranas esse fogo cruzado é uma novidade, pra quem mora no Rio de Janeiro ou em São Paulo isso já é normal, a única diferença é que não precisa de colete a prova de balas.

Enfim… Quanto tempo a guerra vai durar, quem acredita em lactobacilos vivos, quem ainda considera a Mallu Magalhães uma artista revelação… Não tenho essas respostas, mas uma coisa é certa, alguém está muito feliz com tudo isso…

silvio_santos_7

Advertisements




A Fazendinha…

2 06 2009
E a terça-feira segue, e antes de mais uma dose de sono resolvi falar alguma coisa sobre “A Fazenda” o novo show real (sem estrangeirismos) falsificado da Rede Record.
Tipo assim o espectador poderia esperar de “A Fazenda” – Meio “Casa dos Artistas”, com suas “celebridades” de terceiro e quarto escalão, meio “Big Brother”, com seu líder (“o fazendeiro da semana”) e o paredão semanal (“a roça”), o programa começou daquele jeito lento, sem graça …
Britto Jr, coitado, amarrado a um roteiro monótono, só sabia perguntar se os participantes estavam emocionados de ouvir frases de apoio, gravadas, de parentes e amigos.  É da escola de jornalismo que provoca o entrevistado até ele chorar, enquanto a câmera aproxima-se do olho da vítima, em busca de uma lágrima, e depois dispara algum comentário do tipo: “Está emocionada, não? Dificil não se emocionar…”
Depois de duas horas e quarenta minutos apresentando essa gente toda, Britto Jr. avisou: “Este é um momento histórico para mim, para a Record e para a televisão brasileira”. Realmente, não entendi – e gostaria de saber – por que esse é um momento tão histórico. “A Fazenda” tem tudo para se tornar um clássico do “trash” televisivo brasileiro – mas daí a ser “histórico” vai uma grande diferença…
A não ser que Britto Jr. já soubesse o que iria acontecer em seguida: os 14 participantes entraram na fazenda, tomaram um gole de espumante rosé e, comandados por Babi, reuniram-se para uma oração. Sim. O reality show da Record começou com uma prece coletiva. Primeiro, Babi pediu: “Senhor, que a gente aprenda a ser um ser humano melhor”. Depois, foi mais objetiva: “Jesus, que todos nós tenhamos um salto em nossas carreiras”. Ouviram-se alguns “amém”.

E a terça-feira segue, e antes de mais uma dose de sono resolvi falar alguma coisa sobre “A Fazenda” o novo show real (sem estrangeirismos) falsificado da Rede Record.

Tipo assim o espectador poderia esperar de “A Fazenda” – Meio “Casa dos Artistas”, com suas “celebridades” de terceiro e quarto escalão, meio “Big Brother”, com seu líder (“o fazendeiro da semana”) e o paredão semanal (“a roça”), o programa começou daquele jeito lento, sem graça …

Britto Jr, coitado, amarrado a um roteiro monótono, só sabia perguntar se os participantes estavam emocionados de ouvir frases de apoio, gravadas, de parentes e amigos.  É da escola de jornalismo que provoca o entrevistado até ele chorar, enquanto a câmera aproxima-se do olho da vítima, em busca de uma lágrima, e depois dispara algum comentário do tipo: “Está emocionada, não? Dificil não se emocionar…”

Depois de duas horas e quarenta minutos apresentando essa gente toda, Britto Jr. avisou: “Este é um momento histórico para mim, para a Record e para a televisão brasileira”. Realmente, não entendi – e gostaria de saber – por que esse é um momento tão histórico. “A Fazenda” tem tudo para se tornar um clássico do “trash” televisivo brasileiro – mas daí a ser “histórico” vai uma grande diferença…

No primeiro episódio, exibido ontem, a Babi mostrou que vai ser a tia séria, líder e grande “cabeça” da turma.
No primeiro episódio, exibido ontem, a Babi mostrou que vai ser a tia séria, líder e grande “cabeça” da turma.
A não ser que Britto Jr. já soubesse o que iria acontecer em seguida: os 14 participantes entraram na fazenda, tomaram um gole de espumante rosé e, comandados por Babi, reuniram-se para uma oração. Sim. O reality show da Record começou com uma prece coletiva. Primeiro, Babi pediu: “Senhor, que a gente aprenda a ser um ser humano melhor”. Depois, foi mais objetiva: “Jesus, que todos nós tenhamos um salto em nossas carreiras”. Ouviram-se alguns “amém”.
Tá vendo a cara da Danni Carlos querendo rir?
Tá vendo a cara da Danni Carlos querendo rir?
Supostamente custando R$ 20 Milhões… de fato dinheiro não faz tudo!
O mais engraçado é que, o produtor do programa é o ex-ator pornô Alexandre Frota…  não irei comentar, é piada pronta!